Páginas

domingo, 7 de agosto de 2011

Quando os gays viraram santos?



O título do post pode virar até título de livro, pena que se alguém no futuro escrever será processado, preso, talvez até queimado na fogueira.

Primeiro lugar: não tenho problema algum com a homossexualidade, acho que todos devem ser livre para fazer suas escolhas de forma independente.
Agora, acho um absurdo a supervalorização da homossexualidade que estamos vivendo.
Tudo bem que o sexo sempre foi supervalorizado na nossa cultura, mas a ponto de determinar a criação de leis que privilegiem um grupo, baseado somente no tipo de relação sexual que a pessoa tem é absurdo!
Caramba! Eu achava realmente que todos nós eramos seres humanos, cidadãos. Vivíamos com os mesmos direitos e deveres que existem na nossa constituição e na declaração dos diretos humanos. Nunca imaginei que a escolha sexual somente, poderia gerar tratamento privilegiado a qualquer grupo.
Sou radicalmente contra que crianças tenham orientação sexual, radicalmente. Nenhuma criança precisa ter aulas que estimulem qualquer tipo de prática sexual. Educação sexual inclusive, deveria ser dada em casa, pelos pais, da forma que a família achar melhor. O Estado deveria se ocupar em dar condições de educação e formação as crianças e isso faz mal e porcamente.
O grande problema de se aceitar e estimular a escolha sexual precoce é a inevitável ligação maldosa que alguns podem fazer a pedofilia. O pedofilo sempre busca a justificativa de que a criança sente prazer. Opa! Se a criança sente prazer e tem o “direito” de ser homossexual, com qual idade vai ser permitido que um adulto mantenha relações sexuais com ela? Porque se um pai tentar proteger o filho como faria numa relação heterossexual, se o adulto for homossexual, ele vai estar cometendo um crime.
Criaram uma escola para gays e eu boba achei super legal. Pensei nos meninos que não se sentiam à vontade para falarem que eram gays ou tinham vergonha enfim, achei que teriam uma escola especial. Fui pesquisar sobre a escola e vi que os cursos ministrados por lá são de: Como ser drag queen e coisas do gênero, ah francamente né?
Gays não viraram santos, assim como nenhum de nós é! Eles estão sendo usados!
Independente da orientação sexual existe gente bem intencionada e mal. Devemos ter muita calma e não aceitar todo esse movimento que a mídia tem feito de forma  abusiva e analisar o desdobramento e aplicação dessas leis porque é exatamente nesse momento, que o bicho pega.
Querem casar? ok Querem adotar? ok. Eu nao me oponho, desde que a dupla gay passe pela mesma avaliação que um casal heterossexual. O duro é  que o casal hetero pode ser reprovado, mas a dupla se o for, vai recorrer alegando preconceito.
Eu acho horrível um casal se agarrando no meio da rua, acho que vergonha na cara e pudor fazem bem. Caso um casal se exceda voce pode reclamar, mas se for uma dupla hetero não, é preconceito.
Somos pessoas e o que determina um tratamento especial não pode ser o tipo de relação sexual que alguém prefere ter. Gays não descobriram a cura de todas as doenças ou libertaram o mundo da crueldade. Na verdade qualquer gay sensato e justo (e eu conheço alguns) seria contra qualquer tipo de tratamento especial  conquistado somente pelo tipo relação sexual que mantêm.
Quantos gays morreram o ano passado?”Em 2010, 260 gays, travestis e lésbicas foram assassinados no Brasil. De acordo com um relatório do Grupo Gay da Bahia (GGB) ”
Agora voce sabe quantas pessoas foram mortas em 2010?  Temos uma média de 46 mil homicidios por ano entre homens e mulheres.
Logo se percebe que o problema não deve ser tratado de forma segmentada, dando direitos especiais a determinados grupos. É bem mais amplo e ao invés de reivindicar tratamento especial por ser gay, deveríamos todos juntos exigir tratamento digno e humano a todos os cidadãos desse mundo, ou pelo menos do nosso país, todos nós merecemos.
É com união que vamos conseguir ter uma vida mais digna nesse país seja voce gay ou não.

Nenhum comentário:

Postar um comentário